Rhizoctonia ou Mancha marrom nos gramados

Rhizoctonia ou Mancha Marrom nos gramados.

Uma doença que começou tímida a alguns anos atrás no nosso Estado vem se tornando uma verdadeira dor de cabeça para os gramados, principalmente aqueles compostos por grama esmeralda.

A mancha marrom, como é comumente mencionada, é causada por um fungo de solo chamado Rhizoctonia solani. Em culturas agrícolas ela tem um controle mais fácil de se realizar através da rotação de culturas (plantar uma espécie vegetal resistente no local por alguns anos até que o fungo morra e a área fique livre do mesmo e de seus esporos, pois o agente da doença está no solo e não na planta). Esta prática infelizmente não é viável para os jardins residenciais, já que fica fora de cogitação arrancar todo o gramado. Sendo assim, outras técnicas precisam ser aplicadas para eliminar a doença.

A mancha marrom, além de ser de difícil controle tem seus sintomas amenizados durante o verão dando a falsa impressão que a doença foi controlada, entretanto se a doença apareceu no seu jardim, saiba que os cuidados sugeridos a seguir precisam ser seguidos por vários anos para que se consiga erradicar o fungo da área.

 

Sintomas

O sintoma clássico é o aparecimento de manchas circulares marrons que podem variar desde 2,5 cm até metros de distância. Mas um amarelamento geral do gramado também é notado. Ver as fotos no inicio do post.

 

Principais causas que favorecem a proliferação do fungo:

- Solos com desequilíbrio nutricional, isto é, com excesso de adubos com nitrogênio (N) e com deficiência em potássio (K) e fósforo (P); normalmente acontece porque a maior parte dos jardineiros utiliza no gramado apenas uréia (adubo barato e com resposta rápida para o sistema foliar da grama, isto é, ela fica bem verde logo após a aplicação, mas a carência de outros nutrientes ainda existe). Além disso, nossa terra é muito ácida, e o potássio e o fósforo ficam indisponíveis para as plantas quanto o pH está muito baixo. Em locais arenosos os efeitos são ainda piores, pois os nutrientes são facilmente lixiviados (perdidos através da água da irrigação).

- Temperatura noturna entre 10 e 16 ºC; essa condição climática auxilia a proliferação deste fungo, por isso, anos de outono/inverno quentes são favoráveis a esta doença.

-  Mais de 10 horas de folha molhada por vários dias; assim sistemas de  irrigação automática mal regulados ou anos de muita chuva são agravantes para a disseminação do fungo.

-  Altura de poda inferior a 2cm; gramados cortados muito baixos acabam fragilizando o sistema radicular da planta.

- Solos mal drenados; o excesso de umidade favorece em muito o fungo. Normalmente as primeiras manchas aparecem nas áreas sombreadas e mais molhadas do jardim.

 

Cuidados e controle

Uma vez que o fungo se instalou na área é preciso ter em mente que o controle preventivo por anos será necessário. Diminuir as condições que favorecem o fungo também é muito importante, e por último, se a infestação for severa, será necessário o combate através de produtos químicos, os defensivos agrícolas.

 

Manejo da área preventivo:

-  Realizar uma adubação correta ao longo do ano no gramado, atentando para manter o nível de nitrogênio moderado do outono até a primavera e o nível de fósforo médio e potássio alto (de acordo com análise de solo, muito recomendado realizar a mesma, pois só assim será possível uma indicação correta da quantidade de nutrientes a ser administrada). É importantíssimo tentar corrigir o pH;

-  Diminuir sombreamento e aumentar circulação de ar;

-  Evitar irrigação à tardezinha e à noite antes da meia-noite. Dependendo do caso e do clima é indicado até desligar no inverno o sistema de irrigação do jardim.

-  Cuidar para que instrumentos utilizados em outros gramados com a mesma doença estejam limpos quando forem utilizados no seu jardim, isto é, pás, enxadas, cortadores de grama…. não devem trazer solo ou pedaços de grama infectados para o jardim, pois isso ajuda à doença a se alastrar.

 

Se com essas medidas preventivas não for possível controlar as manchas, será necessário utilizar fungicidas específicos para fungo de solo. Para isso, será preciso procurar uma Agropecuária ou um Engenheiro Agrônomo local para a prescrição de um defensivo agrícola (fungicida). Importante: esses produtos precisam ser manejados por profissionais. Todas as instruções descritas nos rótulos devem ser seguidas rigorosamente, como: quantidade de produto, equipamentos de seguranças e descarte de embalagens.